32ª Taça da Federação Portuguesa de Golfe – BPI

SOFIA SÁ E HUGO TEIXEIRA VENCEDORES SENSACIONAIS

Com apenas 14 anos, a jovem do clube da Quinta do Peru, natural de Belmonte, manteve a posse da Taça ao bater Beatriz Themudo na final e em homens o ‘outsider’ Hugo Teixeira levou a surpresa até ao fim derrotando Vasco Alves no jogo decisivo

Hugo Teixeira, do CG Montado, e Sofia Sá, da Quinta do Peru, venceram esta terça-feira a 32.º Taça da Federação Portuguesa de Golfe no percurso Ribagolfe 1, batendo respectivamente Vasco Alves (Oporto) e Beatriz Themudo (Oeiras) nas provas masculina e feminina. 

E se Hugo Teixeira, de 20 anos, estudante de engenharia biomédica, e que era um ‘outsider’, consumou a surpresa máxima perante o internacional português de 18 anos, Sofia Sá cometeu a proeza de voltar a vencer, um ano depois de ter sido no Estela Golf Club a mais nova de sempre, com 13 anos, a revalidar o troféu, então levando a melhor na partida decisiva sobre Sara Gouveia (Clube Laranjas). Desde o “tri” de Carla Cruz em 2006 (antecedido do “bi” de Lara Vieira em 2003) que nenhuma jogadora conseguia defender a posse da Taça. 

Na final de homens, Hugo Teixeira deixou Vasco Alves no 33.º buraco de jogo, o 15 da parte da tarde, ganhando por 5/3. “Sinto-me feliz, realizado”, disse. “Acho que apesar daquela pausa de torneios que fiz nos últimos tempos porque estava um bocado desmotivado, sempre vi que tinha jogo para chegar a uma final ou a uma meia-final, e parece que na final o jogo saiu todo, acho que foi o melhor ‘match’ que joguei.” 

Mas a final não começou bem para Hugo, não tanto por culpa própria, mas por mérito do seu oponente, que fez ‘birdies’ nos buracos 4, 5 e 6 para ficar a ganhar por 3 up. O jogador do Montado recuperou nos segundos nove buracos, a tempo de concluir a volta matinal, antes da pausa, com o ‘match’ empatado. 

Na volta da tarde, Hugo Teixeira – que teve como caddie o seu companheiro de clube Guilherme Oliva, derrotado pelo próprio nos quartos-de-final – perdeu o primeiro buraco mas depois ganhou de seguida os 4, 5, 6, e 7. “Foi aí que pensei: ‘Bem, agora é a minha vez de aguentar o resultado’.” 

“Sinto-me um pouco triste, mas não posso ficar triste pelo torneio que fiz, porque não tenho treinado muito e não estava nada à espera de chegar à final”, afirmou Vasco Alves. “Hoje joguei bem de manhã, mas à tarde não consegui o meu melhor golfe, falhei muitos ‘tee shots’ e tive uma má sequência de buracos. Acho que a vitória do Hugo foi merecida.” 

Em senhoras, assistiu-se a um grande desafio favorável à jovem detentora da Taça apenas no 38.º buraco, o segundo do ‘play-off’. “Estou bastante contente comigo própria, todas as adversárias foram difíceis, umas diferentes das outras mas todas com carácter e garra, mas com a Beatriz foi realmente um grande ‘match’ que vai ficar marcado”, 

Vencedora da Taça em 2016 e já por duas vezes vice-campeã nacional absoluta, Beatriz Themudo, de 22 anos, corrobora a sua oponente: “Foi grande dia de golfe, um grande ‘match’, acho que estivemos as duas muito bem no jogo todo, ela foi mais feliz em algumas situações, meteu ‘putts’ bastante importantes que eu não consegui e acho que levou a melhor por causa disso.” 

Noticias anteriores:
Hugo Teixeira é a surpresa entre finalistas

Guilherme Oliva e Ricardo Garcia tomba-gigantes, prova feminina sem surpresas

Press-Release
9 de Outubro de 2018

Voltar

 

Revised: 10-10-2018 .