87º Campeonato Internacional Amador Masculino de Portugal

SAMI VALIMAKI CAMPEÃO, VÍTOR LOPES MELHOR LUSO

Sami Valimaki, de apenas 18 anos, conquistou o título mais importante da sua curta carreira no 87º Campeonato Internacional Amador Masculino de Portugal (CIAMP), que hoje (Sábado) terminou no Montado Hotel & Golf Resort, em Palmela, sob a organização da Federação Portuguesa de Golfe (FPG). 

É o primeiro finlandês, desde 1998, a vencer este torneio sancionado pela Associação Europeia de Golfe, a contar para o ranking mundial amador, totalizando 281 pancadas, 7 abaixo do Par, depois de voltas de 72, 70, 71 e 68.

 

O inglês Joshua McMahon, de 21 anos, que liderou a prova nos dois dias anteriores, nunca se tinha visto no comando de um torneio da EGA a 18 buracos do final, admitiu ter ficado algo «excitado, mas não nervoso», e acabou por fazer a sua pior volta do torneio, em 75 pancadas, para descer para o 2º lugar, com um agregado de 283 (-5). 

O italiano Luca Cianchetti mostrou porque razão é o atual campeão europeu (amador), fechou com chave de ouro com uma volta final de 68 (na qual somou 7 birdies e 1 eagle) e saltou para o 3º lugar com 284 (-4). Cianchetti não voltará a este torneio pois pretende tornar-se profissional este verão, depois de jogar o British Open. 

O melhor português foi, pelo segundo ano seguido, Vítor Lopes, mas com progressos tanto ao nível da classificação como de resultado, apesar da lesão no ombro esquerdo. Se em 2016 o jogador da seleção nacional, de 20 anos, partilhou o 24º lugar com Tomás Silva, com 2 pancadas acima do Par, desta feita fechou a sua quinta participação na prova no grupo dos 21º classificados, com 1 acima do Par, um agregado de 289 (71+71+73+74). Outro aspeto positivo da sua prestação foi, pela primeira vez, ter feito duas voltas seguidas abaixo do Par no CIAMP. 

Gonçalo Costa (71+73+74+74), de 21 anos, e Vasco Alves (72+73+72+75), de 16 anos, que pela primeira vez tinham passado o cut, empataram no 31º lugar com 292 (+4).     

Três portugueses a passarem o cut foi bastante positivo, sobretudo se pensarmos que só seguiu em frente o top-40 entre 120 participantes de nível elevado. E vale a pena recordar que, em 2016, fixou-se um recorde nacional de quatro presenças lusas na última volta (há entrevistas dos três portugueses completas disponíveis na FPG-TV). 

Num dia de chuva, frio e ainda mais vento, Sami Valimaki foi o mais forte, apesar de ter começado mal, com 1 duplo-bogey mas, depois disso, concretizou 7 birdies para 1 único bogey. Valeu a pena ter vindo à Andaluzia na última semana de janeiro, para jogar um torneio do Gecko Tour, um circuito satélite de profissionais, vencendo em Málaga um torneio de 15 mil euros em prémios, num play-off de cinco buracos! 

«Fui a Espanha para preparar o Internacional de Portugal, gostei de vencer lá, mas este torneio é muito mais importante», disse ao Gabinete de Imprensa da FPG (entrevista completa e discurso na cerimónia de prémios disponíveis na FPG-TV). 

Sami Valimaki, que dedicou o título à sua mãe, venceu o Campeonato Internacional Juvenil da Finlândia em 2013 e 2014, o Internacional Juvenil da Bélgica em 2015, foi 10º no Internacional Juvenil de França em 2016 e no ano passado também arrancou mais dois top-10 em torneios do calendário da EGA. 

Mesmo assim, era apenas o 400º classificado no ranking mundial amador e a sua vitória foi uma surpresa numa rica lista de inscritos que contou com sete membros do top-100 mundial, o campeão da Europa e uma estrela do circuito universitário norte-americano (o galês David Boote, que terminou empatado em 4º com 3 abaixo do Par). 

«Foi um dos melhores ‘fields’ de sempre e isso significa que o CIAMP é um torneio de cada vez maior relevo no panorama do golfe internacional amador. É sinal de que os jogadores e as federações que os mandam gostam desta competição, acreditam na organização da FPG e também nas condições que este Montado Hotel & Golf Resort apresenta, nomeadamente o hotel, o campo e as boas infraestruturas de treino. Estão reunidas aqui todas as condições para que se façam permanentemente competições de grande sucesso». 

Miguel Franco de Sousa foi jogador e capitaneou as seleções nacionais da FPG. Está, por isso, em boas condições de avaliar a participação portuguesa, com três de 16 a passarem o cut: «Convenhamos que não foi uma prestação magnífica da equipa portuguesa. É de saudar a quantidade alargada de jovens portugueses a participarem nesta competição, é importante que tenham contacto com esta experiência competitiva. É uma classificação honrosa do Vítor Lopes. Os resultados, tanto do Gonçalo Costa como do Vasco Alves, são bons resultados e positivos, mas certamente não acredito que todos estes jogadores tenham potencial para repetirmos as vitórias que tivemos em 2008 com o Pedro Figueiredo na Estela e em 2013 precisamente aqui no Montado. (…) Acredito que temos jogadores com grande qualidade, os clubes de golfe nacionais têm feito cada vez mais um bom trabalho no âmbito do desenvolvimento do processo desportivo dos nossos atletas, os resultados estão à vista e já não temos resultados como quando só víamos os portugueses no final da tabela classificativa. Agora, todos os anos temos portugueses que podem competir pelos lugares cimeiros». 

Os resultados mais importantes do CIAMP aos 72 buracos foram os seguintes:

Top-3
1º Sami Valimaki (Finlândia), 281 (72+70+71+68), -7
2º Joshua McMahon (Inglaterra), 283 (69+67+72+75), -5
3º Luca Cianchetti (Itália), 284 (72+70+74+68), -4

Portugueses que passaram o cut

21º (empatado, era 16º) Vítor Lopes (Portugal / seleção nacional), 289 (71+71+73+74), +1
31º (empatado, era 23º) Vasco Alves (Portugal / Oporto Golf Club) 292 (72+73+72+75), +4
31º (empatado, era 27º) Gonçalo Costa (Portugal / seleção nacional), 292 (71+73+74+74), +4

A Taça das Nações, que terminou ontem (sexta-feira), foi ganha pela Itália com 422 (-10), contando os resultados de Giacomo Fortini, Luca Cianchetti e Francesco Donaggio. Foi uma vitória arrancada a ferros, pois Inglaterra ficou a 1 pancada, atuando com Joshua McMahon, Jake Burnage e George Bloor. Portugal foi 15º (+7) com Vítor Lopes, Pedro Lencart e Tomás Melo Gouveia, enquanto a equipa 2 de Portugal foi 18ª (+12) com Gonçalo Costa, Carlos laranja e Tomás Bessa. Houve um total de 24 formações.

Notícias anteriores:
Três portugueses passam o cut
Vitor Lopes perto do Top-10

Três portugueses no Top-40, Matias Honkala 14º europeu comanda a classificação
Campeão da Europa e sete Top-100 jogam no Montado

Press-Release
Gabinete de Imprensa da FPG
11 de Fevereiro 2017

Voltar

 

Revised: 13-02-2017 .