GolfSixes em Cascais

TAILÂNDIA CAMPEÃ COM VITÓRIA NO PLAY-OFF

 

A Tailândia venceu o 3.º GolfSixes em Cascais, o revolucionário torneio do European Tour, de um milhão de euros em prémios monetários, que hoje (sábado) terminou no Oitavos Dunes, na Quinta da Marinha, onde manter-se-á até, pelo menos, 2021.
Thongchai Jaidee e Phachara Khongwatmai derrotaram na final a Inglaterra de Tom Lewis e Paul Waring, e suecederam à Irlanda (vencedora em 2018) e Dinamarca (campeã em 2017), nesta primeira e histórica edição da prova realizada fora do Reino Unido. No confronto do 3.º e 4.º lugares, a Espanha arrasou a Itália por 3-0.

Um triunfo da Tailândia arrancado a ferros, apenas no segundo buraco de play-off, depois de nos seis buracos regulamentares as duas equipas terem empatado a 1-1, acontecendo o mesmo no primeiro buraco de desempate. Pela primeira vez decidiu-se o título do GolfSixes num play-off. Uma das muitas inovações do GolfSixes Cascais é o sistema de desempate e para acelerar o jogo, no segundo buraco de play-off, nem é preciso meter a bola no buraco. Vence a seleção que colocar a pancada de saída mais perto da bandeira (o buraco 6 é de Par-3) e foi isso que aconteceu graças a Phachara Khongwatmai. Uma conclusão poética, dado que, devido à sua juventude, fora o jogador que mais nervosismo mostrara durante a competição, ao contrário da serenidade do veterano Thongchai Jaidee, que tem o objetivo de juntar-se ao Champions Tour em 2020, o circuito de veteranos nos Estados Unidos para maiores de 50 anos.
O histórico Thongchai Jaidee, de 49 anos, eventualmente o melhor golfista asiático de sempre, conquistou o 20.º título internacional da sua carreira (o nono no European Tour) e o jovem Phachara Khongwatmai, de apenas 20 anos, que hoje venceu o seu primeiro torneio em circuitos principais (embora tenha ganho num ‘Tour’ menor com apenas 14 anos), constituíram a simbiose etária perfeita num formato de ‘greensomes’ que exige estratégia.
A Tailândia saiu de Portugal com um cheque de 200 mil euros e sem sofrer qualquer derrota, mostrando grande força mental pela forma como superou os seus obstáculos. Ontem começou por empatar na fase de grupos com a Suécia (1-1) e a equipa feminina de Inglaterra (1-1). Tinha claramente em perigo a passagem aos quartos de final, era obrigatório derrotar a Irlanda, os campeões de 2018, e fê-lo em grande estilo, com Jaidee a arrancar, no sexto e último buraco, o primeiro ‘hole-in-one’ na história do torneio para uma vitória por 3-1.
Hoje, nos quartos de final, os tailandeses arrasaram a Escócia por 2-1, uma equipa que tinha uma das grandes estrelas da competição, o ‘Ryder Cupper’ Stephen Gallacher, e nas meias-finais vergaram a grande candidata ao título, a Espanha, por 1-0. Um triunfo cirúrgico, pois as duas equipas empataram em todos os buracos, menos no 3 (Par-3), no qual 1 birdie, o único birde em seis buracos, resolveu a passagem à final.
Na final a Tailândia arrancou na frente porque Inglaterra entrou mal, com más saídas e 1 bogey. Os ingleses empataram com 1 birdie no tal buraco 3, mas, atenção, o segundo shot de Jaidee bateu no poste da bandeira e por pouco não entrou. Azar para os tailandeses que poderiam ter empatado esse buraco e, provavelmente, teriam resolvido ali a final. No último, buraco, Tom Lewis – o carrasco de Portugal na primeira ronda – falhou um putt curto que teria dado a vitória a Inglaterra e depois vieram os tais emocionantes dois buracos de play-off.
Já venho a Portugal há muitos anos, para jogar o torneio de Vilamoura (Portugal) Masters, mas nunca tinha jogado em Cascais e gostei muito. É importante vencer este torneio com o meu jovem parceiro, porque foi preciso jogarmos muito bem taticamente e acho que foi o que fizemos. Este campo é muito bonito com estas vistas do oceano e Portugal fez um bom trabalho», disse Thongchai Jaidee em declarações à SportTV, a televisão oficial do evento, já depois dos dois jogadores terem ido ao banho na piscina do The Oitavos Hotel.
Mais tarde, em entrevista ao European Tour, o triplo vencedor da Ordem de Mérito do Asian Tour acrescentou: «A organização foi muito boa, o ambiente foi fantástico e voltei a ganhar um torneio do European Tour, algo que não fazia há uns três anos (desde o prestigioso Open de França em 2016 )».
Já Phachara Khongwatmai explicou como deu à Tailândia o ‘shot’ da vitória: «Na pancada de saída pensei que já tinha jogado tantas vezes este buraco que sabia que tinha de visar a parte superior do green e deixar a bola rolar em direção à bandeira».
«Jogar com o Thongjai Jaidee é um sonho, ele é uma lenda e ensinou-me muito sobre como jogar neste formato», acrescentou o jovem que conquistou o título mais importante da sua jovem carreira, mas tem o objetivo de «estar a jogar no PGA Tour em três ou quatro anos».
Os ingleses mostraram-se graciosos na derrota. «O buraco 6 é um buraco espetacular para se terminar um torneio num play-off e foi muito bom para os patrocinadores o torneio ter ido aos limites da morte súbita para se decidir o título. Claro que queríamos ganhar, mas passei um muito bom tempo», exultou Paul Waring.
«Estou desapontado, muito desapontado, porque passámos por tanto e tivemos tão boas vitórias, mas tivemos aquele percalço no início e deixámo-los ganharem confiança. Foi bom termos ido a play-off mas não metemos os putts que deveríamos. No entanto, passámos muito bom tempo, foi divertido e foi simpático podermos representar o nosso país numa semana que seria de folga», referiu Tom Lewis, o duplo campeão do Portugal Masters (2011 e 2018), que voltará a Portugal em outubro para defender o título em Vilamoura.
Na cerimónia de entrega de prémios David Williams, o presidente (‘Chairman’) do European Tour, e Bernardo Corrêa de Barros, vice-presidente da Associação de Turismo de Cascais, entregaram o troféu aos campeões.
Bernardo Corrêa de Barros aceitou o repto da SportTV para análise a dois dias diferentes de golfe em Cascais, com muitas inovações: «O balanço é muito bom. Cascais cumpriu o que prometeu, um tempo fantástico, que as pessoas vivenciassem a bela vida de Cascais e a vista maravilhosa do Oitavos Dunes, uma comunicação internacional extraordinária (mais de seis horas por dia de diretos na BBC e na Sky Sports). Juntámos aqui alguns dos melhores jogadores do Mundo num evento diferente. Isto é o futuro do golfe, um futuro que passará por este conteúdo televisivo. É uma mudança de conceito e foi conseguido por Cascais e pela organização do torneio. Mostrámos ao Mundo que podemos fazer diferente e melhor».

Press-Realease
European Tour em portugal
8 de Junho

Notícias Anteriores:
Portugal perde com Escócia mas ainda tem última esperança
Portugal perde com Inglaterra e decide futuro com Escócia
Portugal 4º no Pro-Am, amanhã começa a sério
Portugal ganha nos penátis e apadrinha inovações no European Tour
Portugal defonta Inglaterra para abrir torneio com estrelas da Ryder Cup
Pedro Figueiredo e Ricardo Melo Gouveia formam selecão nacional
Irlanda regressa para defender o título

Voltar

 


 

Sites


 





Revised: 09-06-2019 .