7º Açores Ladies Open

DUAS PORTUGUESAS PASSAM O CUT

 

Joana de Sá Pereira e Susana Ribeiro fixaram hoje (Sábado) mais um recorde para o golfe nacional, ao haver pela primeira vez duas portuguesas a passarem o cut num torneio do Ladies European Tour Access Series, a segunda divisão europeia. Susana Ribeiro desceu para o grupo das 13ª classificadas, com 146 pancadas, 2 acima do Par, após voltas de 71 e 75, enquanto Joana de Sá Pereira ascendeu ao 9º posto (empatada) com 145 (75+70), +1. 

E se ontem (sexta-feira) Susana Ribeiro estava no top-10 do Açores Ladies Open, no 7º lugar (empatada), hoje foi a vez que Joana de Sá Pereira entrar nessa elite, ao efetuar a sua quarta melhor volta de sempre neste circuito a contar para o ranking mundial feminino de profissionais e também para o ranking olímpico. 

A portuguesa residente em França fez 70 pancadas, 2 abaixo do Par do Clube de Golfe da Ilha Terceira, numa volta em que converteu 3 birdies e sofreu apenas 1 bogey, o seu melhor cartão de sempre em quatro voltas nesta competição, uma vez que em 2015, quando falhou o cut, neste mesmo campo, apresentou resultados de 77 e 81 e ontem tinha feito 75. Diga-se também que 70 iguala o melhor resultado das duas primeiras voltas deste torneio! 

De uma assentada, Joana de Sá Pereira saltou de uma posição fora do cut provisório (era 33ª ontem) para o top-10 e está a apenas 5 pancadas da líder, que continua a ser a inglesa Meghan MacLaren, embora desta feita isolada (-4), após uma segunda jornada seguida de 70. 

A jogadora do Golf Swing Institute em Cannes poderá quebrar amanhã o seu próprio recorde nacional do melhor resultado luso de sempre em torneios de circuitos europeus, quando foi 7ª em Hamburgo, em 2015, mas não está muito preocupada com essa perspetiva: 

«Vou descontraída para o campo como hoje porque não serve de nada meter-me pressão», prometeu, tendo apreciado a sua prestação de hoje, apesar de 30 putts: «Eu estou muito contente porque batalhei com campo o tempo todo, falhei 3 ou 4 birdies que eram relativamente fáceis, mas fiz chips muito bons, consegui salvar buracos quando estava um bocado em situação complicada. Fui mais consistente hoje, e foram 3 birdies e 1 bogey, não houve grande história». 

As duas portuguesas começaram a segunda volta do buraco 10 e ambas fizeram logo 1 birdie no buraco 11 (Par-3). Nessa altura, Susana Ribeiro regressou por instantes à liderança do torneio com -2, como tinha sucedido na véspera, mas o seu “buraco-pesadelo”, o 14, voltou a desafiá-la e perdeu ali 2 pancadas. 

Num dia de mais sol e mais vento, foi uma volta sofrida para a bicampeã nacional de profissionais que mostrou garra, uma vez que depois do dulo-bogey no 14 vieram mais bogeys no 17 e no 1, mas reagiu e arrancou birdies no 2 e no 5, perdendo mais pancadas no 3 e no 9. Uma verdadeira montanha-russa!

«Confesso que hoje joguei mal, apesar do resultado não ter sido uma desgraça, mas é algo em que tenho vindo a trabalhar, para que num dia em que não esteja a bater bem, ainda assim consiga um resultado médio. Falhei muitos greens, estava a jogar demasiado para a direita, fui a muitos bunkers, também tive duas situações de muito azar», disse a portuense que reside na Amadora, que há um ano foi 1ª classificada no torneio açoriano. 

O 7º Açores Ladies Open continua a ser liderado pela inglesa Meghan Maclaren, mas agora isolada, com 140 (70+70), -4, dispondo de uma magra vantagem de 1 pancada sobre a francesa Eva Gilly (70+71) e a italiana Lucrezia Rosso (70+71), que está a combater uma forte amigdalite com bons resultados no campo. 

«Sinto que foi uma volta diferente da de ontem, porque hoje talvez esteja um pouco mais frustrada. Ontem fechei com 2 birdies e hoje fiz 6 pancadas no meu buraco 17 (o 8 do campo) que considero ser um buraco para birdie. Estou um pouco desapontada mas estou na liderança e não posso queixar-me, embora sinta que ainda não joguei o meu melhor golfe», disse a campeã do torneio de Saragoça no ano passado, que procura amanhã o seu segundo título profissional de carreira no LETAS, ela que até já tem categoria para competir em alguns torneios do LET (a primeira divisão europeia), como sucedeu na semana passada em Marrocos.

A 7ª edição do Açores Ladies Open registou um recorde de 66 participantes de 22 países, num ano em que já tinha outro recorde, o da elevação dos prémios monetários para 35 mil euros. O segundo torneio do Ladies European Tour Access Series (LETAS) de 2017 conclui-se amanhã (Domingo), com a terceira volta a começar às 8h30, sempre do buraco 1. Susana Ribeiro sai às 9h47, enquanto Joana de Sá Pereira começa às 9h58. Todas as saídas poderão ser seguidas em live streaming na conta de Facebook do Açores Ladies Open, uma experiência bem-sucedida hoje na segunda volta e uma iniciativa inédita em torneios de golfe nacionais a contar para rankings mundiais.

 

Noticias Anteriores:
Portuguesas iniciam época com ambição

 

Reportagem 2016
Reportagem 2015

Press-release
Stream Plan
22 de Abril de 2017

Voltar

 


 

Sites


 






 



Revised: 22-04-2017 .